Post

Contramestre Tião

27 de Setembro de 2019

Essa coluna assinada pelo nosso Contramestre Tião, será o espaço onde este icônico homem do mar contará as “estórias” e histórias da navegação.

 

E para começar, nada mais adequado do que dedicá-la a própria história da sua vida.

 

Pois bem, quem é Tião?

 

Nascido em 1954, no município de Piripiri/PI a 164 km da capital Teresina, Tião vem da terra do ilustre embaixador Expedito de Freitas Resende. Até os 13 anos, o garoto franzino de cabelos escuros não tinha sequer visto o mar.

 

Tião só vem a aprender a nadar por força do destino, no verão de 1967, quando passava férias em Piracuruca na casa de seus avós, ao perceber uma cabrita se afogando no açude do município, não pensa duas vezes e se atira n’agua num gesto heroico. Tião dá suas primeiras braçadas ali e de forma tão natural quanto um filhote de capivara que se lança ao seu primeiro nado, o garoto consegue salvar o animal.

 

Aos 18, Tião entra para a Marinha e parte para o Rio de Janeiro, terra de seus sonhos de menino, para servir no Arsenal da Marinha.

 

É no Rio de Janeiro, cidade dos encontros e desencontros, mais precisamente no hotel Copacabana Palace que Tião conhece o Almirante reformado Alberto Montenegro Bitencourt, diretor da companhia Lloyd Brasileiro.

 

Na ocasião o músico franco-caribenho Henry Salvador se apresentava no hotel e Tião, que fazia um bico de garçom, se ocupava da mesa do Almirante.

 

A alegria do jovem que via o seu sonho se tonar realidade encanta o almirante, que no fim da festa, ao som de “Faut Rigoler”, convida Tião para ingressar na marinha mercante com a promessa de conhecer o mundo e fazer muito dinheiro.

 

Tião virou um grande amigo do Almirante Montenegro, ganhou dinheiro, trabalhou duro para alimentar o mundo com os bons frutos de nossa terra: açúcar, café, banana, mais tarde minério de ferro e petróleo.

 

Tião empurrou água, tomou porre de Pastis em Marseille, comeu assado em Montevidéu, contrabandeou VHS de Porto Rico no final da década de 80, brigou com um pescador chinês, bateu ferrugem no convés de sunga amarela enquanto atravessava o Mediterrâneo durante o verão, fez escambo em Suez e viveu amores proibidos em muitos portos pelo mundo. Tião viveu glamourosamente!

 

Confira nas próximas edições um pouco mais da vida deste homem extraordinário, na coluna que te levará para uma aventura através dos tempos e dos mares.